“Pastores” ou militantes de esquerda?

Pastor militante de esquerda: será que eles existem?

Pregando um evangelho totalmente perigoso e tendencioso para caminhos anticristãos, alguns “líderes cristãos” — se é que um dia foram cristãos — começaram a romantizar a esquerda no Brasil, se tornando pastores militantes de esquerda.

Alguns estão fora de si e manifestam um total desequilíbrio emocional, chamando o presidente de fascista ou insinuando que ele seja o responsável pelas mortes em detrimento da pandemia que assola o mundo.

O que eu vejo, é que se tornaram verdadeiros militantes de esquerda, e não mais expositores do evangelho.

A imposição do pânico é notória, nem se parecem com os cristãos que andaram com Cristo, o medo de morrer é exposto em palavras vazias e cheias de ódio.

A esquerda anticristã fala mais alto

Um nome que tem me chamado bastante atenção é o mais escandaloso e perigoso, o Ricardo Gondim — quando falo em perigo, me refiro a deturpação da verdadeira essência do evangelho de Cristo para fundamentar seu fetiche político-ideológico.

Ricardo Gondim

pastores esquerdistas
Pastores militantes de esquerda – Instagram: Ricardo Gondim

O “líder” se tornou um pastor militante de esquerda — radical — insinuando e rotulando o atual presidente como “fascista e burro” em postagens nas suas redes sociais, que acabou virando notícia no portal Gospel + em 2018.

"PASTOR'' MILITANTE
Uma das frases de ódio do “pastor” militante

Assim como para Gondim preocupa a contradita do que ele acredita, me preocupa também, como cristão e totalmente comprometido com o evangelho de Cristo, saber que existam supostos líderes que passaram a pregar ideologias políticas com forte tendência ao anticristianismo. Sim, se você é um esquerdista, logo se torna um anticristo, essa é a realidade.

Em um artigo intitulado de “Todo esquerdista é um anticristo em potencial”, explico o motivo que leva todo esquerdista a ser automaticamente um opositor dos princípios de JESUS, ou seja, um anticristo.

Gondim transparece um narcisismo descontrolado, ele tem esse “autoempoderamento” da intelectualidade, o que o torna — para ele mesmo — um “ser iluminado”, diferente de cristãos que permanecem na sã doutrina e discordam totalmente dele (a maioria).

Um dos comentários no post de Gondim — que leva as mãos do 17 ensanguentadas — me deixou totalmente perplexo e bastante assustado, onde uma seguidora do “pastor” expôs a seguinte mensagem:

“Bolsonaro sempre mostrou o que era e o q faria enquanto presidente. Sua habilidade era matar, ele reverberava. Quem viu, ouviu, e ainda assim votou nele, não se arrependerá agora. Enfeitiçados estavam, enfeitiçados estão. Quem tem olhos e ouvidos atentos, clame. Só Deus pode nos resgatar dessas trevas. Do espírito d morte e destruição q paira sobre o país”, disse a seguidora em seu comentário.

comentário no post do Gondim
Comentário feito no post do Ricardo Gondim no Instagram

Gondim e o #elenão

Veja o que disse Gondim em seu site, em 25/09/2018, antes das eleições do respectivo ano, com direito a Hashtag #elenão.

“Por outro lado, por lidar com diversidade de pensamentos e com pessoas de diferentes perfis, o líder religioso deve proibir a si mesmo de querer influenciar os votos de sua comunidade. Ele, ou ela, não pode usar de suas prerrogativas para tentar gerar em seu auditório “comportamento de manada”. É sua obrigação jamais manipular com medo, falsos inimigos; e nunca identificar os que pensam diferente como aliados do Diabo”, afirmou o “líder” em seu site.

pastor militante esquerdista
Gondim rebate seguidor e pede para parar de segui-lo.

Embora Gondim afirmou que não pode gerar em seu auditório o chamado “comportamento de manada”, ele de maneira bem sagaz — como costuma fazer Satanás — o fez, argumentando que se não pode dizer em quem votar, pode dizer em quem não votar. Ele não estaria gerando o comportamento de manada da mesma forma? Interessante, não? Estaria agindo como um pastor militante de esquerda?

Pastor militante de esquerda?

O comentário dessa seguidora acima já demonstra o tipo de pensamento que essa turma possui, sem qualquer nexo, cheios de ódio e falsas acusações, são tão profanos que se esquecem que a Bíblia nos instrui a orarmos pelo nosso governante:

Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favor de todos os homens,
em favor dos reis e de todos os que se acham investidos de autoridade, para que vivamos vida tranquila e mansa, com toda piedade e respeito.
Isto é bom e aceitável diante de Deus, nosso Salvador,
o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade. – 1 Timóteo 2:1-4

A Bíblia nos ensina a orar, e não a tecer julgamentos desprezíveis contra as autoridades, pois, se assim o fizermos, estaremos indo contra DEUS. Agora, se o “líder” e seus seguidores acreditam que chamar o atual presidente de fascista, genocida ou qualquer outro adjetivo pejorativo venha ser algo proveitoso, aí só me resta orar pelos tais, para que se convertam dos seus maus caminhos.

Essa história de querer “abrir os olhos” de seus seguidores é uma máscara para pregar o ódio contra uma pessoa da qual se discorda, seria esse o modus-operandi de Gondim?

 

Thalles Cardozo

Além brasileiro nato e cristão, sou o CEO do grupo SED (Space - Empreendimentos Digitas), responsável direto pela manutenção, otimização, configuração e do SEO de todos os sites pertencente ao grupo. Alem de ser colunista, editor e programador dos mesmos. Especialista em marketing digital também sou conhecido como Tzy e sou dono de alguns canais no youtube entre outras redes sociais com milhares de seguidores.

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo