O esquerdismo seria uma ideologia genocida?

O esquerdismo seria uma ideologia genocida? Primeiramente iremos falar o que significa genocídio, depois faremos alguns questionamentos.

Genocídio

Segundo a definição da ONU, o genocídio é o extermínio deliberado de um povo por razões étnicas, militares, religiosas ou culturais. Ou seja, todo aquele que prega o extermínio sobre uma classe de pessoas por tais razões pode ser considerado um genocida.

Diante dos constantes ataques que os esquerdistas realizam contra todos aqueles que partilham de ideais conservadoras, levantamos o seguinte questionamento, os progressistas estão defendendo a democracia ou estão alimentando ideais genocidas?

Através de diversos capítulos vivenciados nos últimos anos encontramos facilmente situações em que a esquerda prega o ódio e a violência contra todos aqueles que ousarem pensar de forma diferente, demonstrando um claro autoritarismo e monopólio de pensamentos por parte da pauta progressista. Tal violência pode ser exemplificada facilmente ao observarmos a tentativa de homicídio realizada contra Bolsonaro e as frases cruéis pronunciadas pelo ex-presidente Lula, que alega enxergar o lado bom da pandemia, afirmando que a pandemia é necessária para a população valorizar o estado e se tornar dependente deste.

Lula exalta coronavírus

O ex-presidente Lula afirmou que o coronavírus foi bom para que a população enxergasse a importância de se ter um estado centralizado, a fala foi muito mal recebida e o líder petista acabou tentando se retratar dias depois. A ideia de Lula ver uma doença que mata milhares de pessoas como algo bom não se justifica em nenhum contesto, sendo assim, esta fala demonstra uma ideia um tanto desiquilibrada e maquiavélica.

Defender um vírus mortal em nome do crescimento estatal é tão cruel quanto iniciar uma guerra em nome do enriquecimento. Logo surge um questionamento: as falas do líder petista possuem traços genocidas, de modo que entre em contradição com todas as narrativas que os progressistas usam para disfarçar suas más intenções? Essa é uma pergunta que deixo para você, caro leitor, responder.

Adelio e a facada em Bolsonaro

O exemplo mais claro da intolerância politica dos esquerdistas foi observado no período em que Jair Bolsonaro vinha crescendo nas pesquisas de intenções de votos, constantemente os progressistas pregavam ódio e desejavam a morte de Bolsonaro. E essa situação chegou ao extremo quando o esquerdista Adelio Bispo esfaqueou Bolsonaro em praça pública, quase matando-o.

Adelio já foi filiado ao partido PSOL, o qual é diretamente relacionado com o PT, ambos defendem o progressismo através de mentiras e extrema violência contra aqueles que possuem opiniões politicas diferentes, desrespeitando o próprio conceito de liberdade democrática.

PSOL entra na justiça para impedir tratamentos precoces

Em janeiro de 2021 o PSOL acionou o STF para que fosse vedada as possibilidades de se iniciar tratamentos precoces do coronavírus, e ainda entraram com o mesmo pedido no TJRS. O PSOL ganhou a ação no TJRS, onde foi proibido o tratamento antecipado em todo o Rio Grande do Sul, colocando em risco diversas vidas que poderiam ser salvas se recebessem o tratamento adequado de forma antecipada.

O esquerdismo seria uma ideologia genocida?

O dano causado por esse impedimento é imensurável, é evidente que quanto mais avançado for o estágio da doença, mais difícil será de se realizar um tratamento efetivo, e com a dinâmica de tratar apenas aqueles que já estão com covid em estágio avançado o número de UTIs ocupadas aumentará progressivamente, reduzindo ainda mais as taxas de recuperação.

Ideologia que não aceita questionamentos

A hipocrisia progressista é escancarada, os mesmos que se autoproclamam detentores da verdade e bondade, hoje derrubam suas mascaras se revelando o que de fato são, indivíduos manipuladores com tendências violentas e devaneios genocidas. O próprio ideal Comunista por si só já é o oposto de todo conceito democrático, pois concentra todo o poder na mão de um, eliminando o próprio sistema de eleições e gerando uma dependência populacional absoluta em relação ao Estado, ou seja, elimina toda a liberdade de se questionar as falhas dos líderes políticos.

Não é preciso entrar no âmbito filosófico para constatar tal fato, basta observar o cenário acadêmico, onde há um monopólio de pensamentos, os professores só permitem que os alunos defendam ideais progressistas, agredindo verbalmente todos aqueles que ousem ter um pensamento próprio, de modo que desrespeite os preceitos constitucionais da liberdade de expressão.

Lula já disse admirar Hitler e Mao Tse-Tung

Embora Lula não tenha dito que admira as ideologias de Hitler, mencionou que admirava a disposição dele em realizar algo. Ora, o que Hitler realizou, se não um verdadeiro inferno no mundo matando milhões de pessoas?

A tal entrevista, concedida a Revista Playboy, em 1979, levanta a dúvida se Lula teria ou não pensamentos genocidas. Veja um trecho:

genocida?
Entrevista de Lula a Playboy em 1979

Veja a primeira figura que Lula cita, o Mao Tse-Tung, que é considerado um dos maiores genocidas que já existiu nesse planeta. Suas políticas e os expurgos políticos de seu governo entre 1949 a 1975, provocaram a morte em massa de 50 a 70 milhões de pessoas, podendo se comparar até a gripe espanhola em questão de números.

Nas entrelinhas, podemos chamar o regime do maldito chinês — Mao Tse-Tung — de uma espécie de pandemia ideológica, onde caçava minorias e pessoas religiosas que criticavam seu regime. O ditador era tão maligno que fazia a família das vítimas pagarem pelas balas que iriam matar os “condenados” do seu regime.

Até mesmo a revista Super Interessante cita Mao Tse-Tung e Hitler como genocidas, usando a definição da (ONU), que diz: genocídio é o extermínio deliberado de um povo por razões étnicas, militares, religiosas ou culturais.

O Regime de Hitler dizimou pelo menos 17 milhões de pessoas, podendo chegar a 20 milhões, e entre eles tinham judeus, gays, ciganos, sérvios e romenos.

Ou seja, para Lula esses homens possuíam alguma qualidade que lhe chama a atenção. Mas também esperar o que de um comunista?

Ódio aos cristãos

Lula já não consegue mais esconder sua intolerância aos cristãos.

Saiba que a ideologia esquerdista é totalmente contra os princípios cristãos e também contra qualquer um que vá de contra os princípios ideológicos progressistas.

Eu já abordei a questão no artigo: “Seria Lula um anticristo”?

Logo após ser libertado pelo STF através de uma canetada, Lula teceu duras críticas contra a igreja, considerado pelo portal (Gazeta do Povo) de “intolerância religiosa”.

Embora os próprios esquerdistas chamem Bolsonaro o tempo inteiro de genocida, não consigo enxergar tais características no presidente.

Deixe seu comentário abaixo.

Thalles Cardozo

Além brasileiro nato e cristão, sou o CEO do grupo SED (Space - Empreendimentos Digitas), responsável direto pela manutenção, otimização, configuração e do SEO de todos os sites pertencente ao grupo. Alem de ser colunista, editor e programador dos mesmos. Especialista em marketing digital também sou conhecido como Tzy e sou dono de alguns canais no youtube entre outras redes sociais com milhares de seguidores.

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo