Marighella: Terrorista ou Herói?

Quem foi Carlos Marighella?

O guerrilheiro progressista é retratado como um herói pelos esquerdistas, mas a verdade é bem diferente do que eles tentam mostrar. Marighella está bem longe de ser um exemplo moral, ele defendia ideais extremistas, pretendia instaurar o comunismo através do terrorismo, buscando desestabilizar a sociedade usando a clássica premissa de ‘’Dividir para conquistar’’.

Manual do guerreiro urbano

Marighella publicou um livro chamado ‘’Manual do guerreiro urbano’’, em sua obra instaurou todas as diretrizes para travar uma guerra contra o governo brasileiro, derrubando-o para instaurar o seu próprio sistema, o comunismo. O manual do guerreiro urbano na verdade se tratava de um manual de guerrilha, para recrutar novos membros paramilitares, ou em outras palavras ‘’Terroristas’’, que utilizariam de todos os meios para conquistar a sociedade através do caos e medo.

O manual defendia o uso de sabotagens em pontos estratégicos da sociedade, uma das táticas defendidas por Marighella era a de incendiar hospitais, invadir escolas, destruir ferrovias, matar policiais, assaltar bancos, e sequestrar pessoas importantes. Além disso a tática de guerrilha também incluía matar civis para causar pânico social, na visão do líder terrorista qualquer meio justificaria para se instaurar o comunismo.

Filme de Marighella

Recentemente foi feito um filme em homenagem ao terrorista Marighella, o guerrilheiro foi interpretado pelo ator Seu Jorge, e dirigido pelo ator e diretor Wagner Moura, cidadão o qual defende abertamente o progressismo cultural. Além do filme ter sido um fracasso, ainda por cima utilizou 10 milhões de reais diretos dos cofres públicos, ou seja, fizeram um filme de idolatria a um terrorista usando o dinheiro que você pagou em impostos.

Se não bastasse o filme ser um fiasco, ouve um grande esforço em impedir que a população criticasse ou desse notas baixas para o filme, mais uma vez os progressistas se demonstraram aversivos a opiniões contrárias, desmascarando a hipocrisia da grande esquerda.

Planos de Marighella

Alguns dos principais planos de Marighella era dividir a sociedade, causando caos e medo, para que com o tempo conseguisse instaurar o comunismo, sistema a qual matou milhares de pessoas de fome em diversos países, através da injustiça absolutista pregada por ditadores que prometem igualdade mas entregam miséria.

Marighella ensinou diversos guerrilheiros a realizar emboscadas, batidas, ocupações, expropriações de armas, libertação de criminosos, execuções, sabotagem, sequestros, incêndios, e propagandas armadas.

Se já não fosse o bastante, o terrorista progressista ainda planejava matar toda a oposição política que viesse a surgir, ele se espelhava nas figuras mais grotescas que já pisaram na Terra, desde Marx até Stalin, o mesmo ditador que matou mais civis do que o próprio monstro Adolf Hitler. É de se esperar que um indivíduo que se espelhe em um ditador como Stalin não seja um exemplo de moralidade, mas Marighella conseguiu ir ainda mais fundo, se tornando uma das figuras mais violentas e perversas do cenário nacional, e por alguma razão injustificável a esquerda política o escolheu como um símbolo a ser exaltado, mesmo se tratando de um criminoso escancarado.

E se o Brasil fosse comunista?

Se o Brasil fosse um país comunista viveríamos a mesma crise vivenciada na Venezuela e na Coréia do Norte, nações as quais não possuem liberdade alguma, afundados na miséria e na impossibilidade de encontrar melhorias, levando-se em conta que o comunismo é o oposto de liberdade, devido ao fato de se pautarem na figura de um líder supremo que define até mesmo a sua própria escolha.

Nunca houve sucesso em nações de viés comunistas, todas elas declinaram ao fracasso, e nada de diferente poderia ser esperado de um viés que prega o fim da propriedade privada, da religião, e das liberdades individuais.

Hoje a Venezuela é liderada pelo comunista Maduro, vive a maior crise de fome já registrada, onde as pessoas trabalham feito escravos e não recebem nem mesmo alimentos para se ter um almoço digno, ou seja, o comunismo traz riquezas apenas para os seus líderes, afogando o seu povo na miséria.

Thalles Cardozo

Além brasileiro nato e cristão, sou o CEO do grupo SED (Space - Empreendimentos Digitas), responsável direto pela manutenção, otimização, configuração e do SEO de todos os sites pertencente ao grupo. Alem de ser colunista, editor e programador dos mesmos. Especialista em marketing digital também sou conhecido como Tzy e sou dono de alguns canais no youtube entre outras redes sociais com milhares de seguidores.

Deixe um comentário

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo